Pular para o conteúdo

Soluções e Projetos

Gestão de projetos de cunho tecnológico

project life cycleA Unova utiliza as melhores praticas na gestão de projeto adotando o Project Management Body of Knowlegde (PMBOK) do Project Management Institute (PMI) como ferramenta padrão. Não importa o tamanho do seu portfólio de projetos, nós podemos ajudar a viabilizá-los.

Sabemos o quanto é difícil manter uma estrutura para a elaborar, justificar e aprovar projetos em tempos de baixo investimento. Igualmente difícil é manter os stakeholders informados e engajados durante a execução do projeto. Mais dificil ainda é manter os custos, os prazos,os riscos e a qualidade das entregas.

Para minimizar tais dificuldades em todo o ciclo de vida do projeto, acreditamos em um maior esforço nas etapas iniciais de aprovação e planejamento do projeto e na adequada contratação do mesmo. Isto é traduzido em engajamento maior dos sponsors e demais stakeholders, no adequado planejamento e gerenciamento de riscos.

Permita-nos uma avaliação de suas demandas de projeto e iremos te mostrar como a Unova poderá ajudá-lo, não importa o tamanho de sua empresa ou de seu portfólio. Também avaliamos seus projetos em andamento que ainda não obtiveram os indicadores favoráveis.

 

Definição de requisitos funcionais

Diagrama VUm projeto de automação de processos requer uma completa especificação de requisitos funcionais e não funcionais. Estes requisitos são a definição de cada funcionalidade do sistema de controle e automação de processos de negocio, abrangendo todo e qualquer setor da corporação, seja operacional, administrativo-financeiro e/ou comercial. A Unova desenvolveu uma metodologia de análise de processos de negocio e suas regras, adotando técnicas de elaboração de requisitos funcionais e não funcionais.

Requisitos funcionais

Ele é o conjunto de entradas, regras e saídas, ou seja, envolve cálculos, lógicas de trabalho, manipulação e processamento de dados, entre outros, incluindo a arquitetura do aplicativo.

As funcionalidades do sistema estão diretamente associadas ao fluxo e às regras de negocio aplicadas. A modularização de funcionalidades é um requisito que melhora a gestão do desenvolvimento e da posterior manutenção, reduzindo riscos e custos associados.

As funções do sistema devem ser definidas de forma completa e consistente, evitando interpretações ambíguas por parte do desenvolvedor. Além dos fluxos de processamento, o controle sobre as entradas manuais e sistêmicas garantem a rastreabilidade necessária à avaliação de falhas e à auditoria do sistema.

Requisitos não funcionais

Requisitos não funcionais são relacionados a qualidade, desempenho, usabilidade, confiabilidade, disponibilidade, segurança e tecnologias envolvidas. Muitas vezes, os requisitos não funcionais acabam gerando restrições aos funcionais.

Com o crescente número de usuários vindos de dispositivos móveis, requisitos não funcionais como portabilidade e mobilidade tornam-se fundamentais em praticamente todos os sistemas web. Além deles, a preocupação com interoperabilidade, localização geográfica e alta disponibilidade também fazem parte do mapeamento e desenvolvimento de requisitos não funcionais.

Entender profundamente os tipos de requisitos no momento de definir seu software pode decidir o futuro dele. Por outro lado, também é preciso ter em mente que o software pode ser beneficiado se houver um pouco de flexibilidade no seu desenvolvimento. Assim, unindo os conceitos, é possível ter um sistema de qualidade sem um alto custo de aquisição. Esse tipo de mapeamento também facilita e otimiza a manutenção e correção de erros, além de prover uma visão clara do serviço que está sendo implementado. Não apenas do lado do cliente, mas também da empresa que está vendendo o software.

Integração de sistemas

puzzle_integracaoA Unova adota como metodologia de projeto de integração a componentização de serviços, processos e regras, de forma a garantir flexibilidade, agilidade e eficiência com menores custos, riscos e prazos no desenvolvimento e manutenção dos sistemas.

O objetivo de um projeto de integração está associado a redução de custos, risco e perdas associadas ou não ao aumento de capacidade e de qualidade na eficiência dos controles corporativos. Os exemplos a seguir são alguns para os quais a integração de sistemas é altamente recomendável.

  • O aproveitamento investimentos em estáveis tecnologia e sistemas legados passa necessariamente pela integração dos mesmos com novos e modernos módulos de software.
  • Mesmo complexos sistemas de gestão ERP têm que se conectar e comunicar com sistemas específicos. Estima-se que a abrangência de sua aplicação é limitada por fatores estratégicos e mercadológicos. Uma crescente parcela de gestores têm o objetivo de tornar a corporação menos dependente em relação a fornecedor(es).
  • Melhor e maior colaboração na cadeia de negócio. Rápida adaptação para novos modelos de negócios.

Os projetos de integração são precedidos de levantamentos de processos e interfaces dos sistemas. Procura-se, sempre que possível, adotar os conectores nativos dos sistemas. Estes operam de várias maneiras em sua comunicação com outros sistemas, geralmente utilizando-se webservices, serviço de mensagens e/ou arquivos.